Desvendando a Escoliose

O nome dado à curvatura lateral da coluna, em forma de “S”, é escoliose. Essa é uma patologia complexa, com causas e tratamentos variados e que pode gerar muitas dúvidas. Pensando nisso e sabendo que, a OMS (organização mundial da saúde) estima que, até 80% das pessoas no mundo todo sofrerão de problemas na coluna, vamos juntos desvendar um pouco da escoliose.

O que é?

Como dito antes, uma curvatura lateral da coluna, que tem forma da letra “S”. Essa curvatura é medida em graus e vai do mais leve, ao mais grave. Alguns casos podem ser tão sutis que não afetam a rotina, mas outros podem chegar a ser dolorosos e limitantes a atividades da vida diária. Como a escoliose acontece em diferentes regiões da coluna as classificações se dividem entre: cervico-torácica, torácica, toracolombar, lombar e lombossacral.

Quais são as causas?

Antes de irmos para as causas, precisamos entender que existem tipos distintos de escoliose e cada uma delas possui uma causa. A escoliose Idiopática é a classificação dada quando não se sabe a causa, e aparece sem motivo aparente. A congênita é quando o bebê já nasce com escoliose devido à má-formação das vertebras. A escoliose degenerativa surge na fase adulta como consequência de lesões como osteoporose ou fraturas. Já escoliose neuromuscular é a de origem como consequência de quadros neurológicos, como a paralisa cerebral.

Quais os sintomas?

Como dissemos antes, alguns casos podem ser dolorosos e outros não. Mas de maneira geral, alguns padrões são encontrados, se não na maioria, em boa parte dos pacientes que sofrem com escoliose, como por exemplo: ombros em alturas diferentes, cabeça fora de centro em relação à pélvis, quadril proeminente, cintura irregular e proeminência da costela quando dobrada.

Como é feito o diagnóstico?

Para ter certeza da existência da escoliose, grau de curvatura, localização na coluna e como tratar é necessário, inicialmente, um histórico clínico detalhado para entender as particularidades dos hábitos físicos e outros fatores de cada um. Depois, é feito um exame físico para encontras os sinais visíveis da escoliose. O RX é o exame de imagem mais usado para marcar e saber qual o grau/ângulo da escoliose.

Como tratar?

Cabe aqui aquela velha frase: “cada caso é um caso”. O tratamento vai é direcionado após a avaliação de um especialista em coluna vertebral. Alguns casos exercícios e RPG podem ajudar a equilibrar as curvaturas e aliviar a dor, em outros pode ser indicado o uso de colete e nos casos mais graves, cirurgia é a melhor escolha.

O melhor tratamento sempre começa com um diagnóstico correto. Se você desconfia que tem escoliose, procure um profissional capacitado para avaliar o seu caso e direcionar para o melhor tratamento.

Entre em contato conosco!

(11) 4805 – 4656

(11) 97090 – 4410