Dores crônicas: inimigas do seu bem-estar

Mulher de costas com a mão no pescoço, sinalizando que está sentindo dor

As dores crônicas atingem uma grande parcela da população mundial. Mas, apesar desse grande número de pessoas sofrendo com esses desconfortos, a dor crônica ainda é de difícil compreensão para a maioria das pessoas.  É fácil entender quando o paciente sente dor por causa de uma lesão ou ameaça de lesão. Entretanto, o grande problema está quando não há lesão ou já houve a cicatrização da lesão e o paciente continua apresentando dor.

Desvendando as dores crônicas

Um dos primeiros nomes dados a esse tipo de dor foi “dor psicogênica” (a tal “dor psicológica”). Estudos recentes concluíram que essa dor não está obrigatoriamente relacionada a uma lesão, abraçando esses pacientes.

A descoberta desses estudos foi que a dor do paciente vem, principalmente, de micro alterações nos ambientes neurais, e não de lesões perceptivas dos tecidos, como se imaginava anteriormente. Sendo assim, isso provoca uma disfunção na “percepção da dor”, isto é, a forma que o paciente tem de perceber a dor, está desregulada.

Com essas descobertas muitas coisas mudaram:

– o nome que passou a se chamar “dor nociplástica”.

– a abordagem do tratamento também mudou e o profissional precisa estar capacitado para atender paciente de dores crônicas.

Por isso é muito importante sempre procurar solucionar o seu problema de dor o quanto antese,  evitando assim,  o surgimento da memória da dor e o desenvolvimento de um problema crônico..

Compartilhar boas informações também é uma boa forma de ajudar alguém com dores crônicas.

Então, se você sofre com as dores crônicas, não hesite em nos procurar para iniciarmos o seu tratamento. Clique aqui para falar conosco.