Fibromialgia: alivio de sintomas

fibromialgia

Ao menos 3% dos brasileiros têm fibromialgia; a maioria mulheres.

“A cantora Lady Gaga, por exemplo, declarou que tem fibromialgia, o que já a impediu de se apresentar em grandes shows com o Rock In Rio.”

A fibromialgia é uma síndrome reumática que causa dor intensa e fraqueza muscular porém, fadiga, alterações no sono, na memória e no humor, distúrbios digestivos também podem ocorrer em pacientes com fibromialgia.

As dores provocadas pela doença chegam a ser tão incapacitantes, que o paciente não consegue fazer qualquer atividade.

Existem dois tipos de abordagem para reduzir e controlar as dores e melhorar a qualidade de vida de quem tem o diagnóstico de fibromialgia:

1️⃣ Os exercícios aeróbicos e de fortalecimento são essenciais
2️⃣ E para quando os pacientes estão em crise, a fisioterapeuta utiliza técnicas de terapia manual que podem ajudar no controle da dor.

Os pacientes com fibromialgia, geralmente, são relutantes à atividade física e por isso tendem a ser mais sedentários mas, acredite, o exercício aeróbico é um importante componente no tratamento.

As melhores opções de exercícios são caminhada, natação, hidroginástica, bicicleta.
Além disso, o Pilates, Tai Chi Chuam e a musculação adaptada são capazes de modular o sistema nervoso autônomo e ajudar no controle dos sintomas.

A prática diária, de 30 a 40 minutos, é o mais indicado.

E, claro, aquele paciente em crise, precisa de ajuda de um profissional habilitado fisioterapeuta e se possível pode fazer os exercícios de forma leve. A carga moderada é para quem está fora da crise.

➡️É preciso tempo e esperar os resultados do tratamento, tanto das sessões de fisioterapia quanto ao efeito da atividade física. No mínimo 2 meses para o paciente começar a experimentar uma menor intensidade nas dores pois, é o tempo mínimo onde o sistema nervoso autônomo autônomo começa modular e controlar os efeitos que a fibromialgia acarreta.

E para isso, é preciso ter paciência persistência, disciplina e força de vontade para sair da inércia que a síndrome provoca no paciente.